O primogênito de Maria

O objetivo desse estudo é demonstrar que, segundo a Palavra de Deus, Maria, esposa de José, teve outros filhos e filhas, além do próprio Senhor Jesus Cristo, o seu primogênito.

Segundo o dicionário Priberam, o termo primogênito significa:

“Que ou aquele que nasceu antes dos outros irmãos; filho mais velho.”

Fonte: http://www.priberam.pt/DLPO/primog%C3%AAnito (consultado em 05-08-2016)

No primeiro capítulo do livro de Mateus, vemos que o anjo do Senhor aparece em sonhos a José para dizer que o filho que está gerado em Maria é do Espírito Santo.

Quando José desperta do sono (Mateus 1:24), ele recebe Maria como sua mulher, porém não a conhece até que dê à luz seu filho, o primogênito.

“E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus.” (Mateus 1:24-25)

A palavra “conhecer” é utilizada na Bíblia com o mesmo sentido de conjunção carnal, o ato sexual propriamente dito.

Embora uma mulher grávida possa ter relações sexuais, sem que isso prejudique a própria saúde ou a do feto, José não a conheceu, em reverência ao que estava gerado em Maria.

A palavra “conhecer” aparece com o mesmo sentido, por exemplo, quando Adão tem a sua primeira relação íntima com Eva:

“E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem.” (Gênesis 4:1)

Depois que Maria dá à luz e ultrapassa o período em que deveria se purificar, José passa a exercer plenamente o direito de marido.

A relação sexual, dentro do casamento, não é pecado e já era possível antes da queda de Adão e Eva. Isso porque antes da queda, a mulher poderia dar à luz, porém esse processo seria praticamente indolor (Gn 3:16).

Embora Jesus Cristo seja o primogênito (primeiro) de Maria, Ele sempre será o Unigênito de Deus, porque depois dele, não houve e nem haverá outro igual.

O Verbo se fez carne uma única vez, cresceu, viveu sem pecar, morreu numa cruz, ressuscitou ao terceiro dia no mesmo corpo, porém agora glorificado, foi elevado as alturas e em breve retornará para reunir os escolhidos e julgar o mundo.

Há uma grande diferença entre os termos primogênito e unigênito. Este último significa único. Aquele, como já dito, primeiro.

De acordo com João 2:12, Jesus desceu a Cafarnaum acompanhado de sua mãe, seus irmãos e seus discípulos.

O capítulo 3 de Marcos narra, dentre outros fatos, o episódio em que a mãe de Jesus e seus irmãos (demais filhos de Maria) vão até onde Jesus estava para o prender, por acharem que Ele havia enlouquecido (Marcos 3:21).

Quando os parentes de Jesus chegam ao local, eles não conseguem adentrar por causa da grande multidão. Por essa razão, eles mandam alguém chamar Jesus. Os que estavam próximos de Jesus passam o recado dizendo:

“(…) Eis que tua mãe e teus irmãos te procuram, e estão lá fora.” (Marcos 3:32)

Em outro momento, quando Jesus está pregando o Evangelho aos moradores de Nazaré, encontramos a seguinte resposta de muitos:

“(…) De onde lhe vêm estas coisas? E que sabedoria é esta que lhe foi dada? E como se fazem tais maravilhas por suas mãos? Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? E não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele.” (Marcos 6:2-3)

Diante disso, Jesus lhes responde:

“(…) Não há profeta sem honra senão na sua pátria, entre os seus parentes, e na sua casa.” (Marcos 6:4)

É perfeitamente compreensível ouvir esse desabafo do Mestre, pois os parentes de Jesus (mãe e irmãos) já haviam pensado até que Ele estava louco.

Não há razão para defender uma virgindade eterna de Maria, porque a Bíblia Sagrada não confirma essa hipótese.

Maria foi uma mulher de fé, bem aventurada, escolhida para ser o receptáculo, o vaso escolhido para dar à luz ao Senhor, porém também era falível como nós, imperfeita.

A mãe do Senhor merece todo nosso respeito, porém não pode receber o status de medianeira e advogada, porque há um só Mediador (1 Timóteo 2:5) e um só Advogado (1 João 2:5)

Além de Jesus, não houve outro homem ou mulher perfeito vivendo entre os homens. Concordando com isso, os anjos de Deus declaram:

“Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque SÓ TU ÉS SANTO; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos.” (Apocalipse 15:4)

Se Maria jamais tivesse pecado, como defendem alguns, então o relato dos anjos está equivocado.

Muitas pessoas são devotas de Maria e de uma infinidade de santos, mas Jesus está chamando a todos para si mesmo.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” (Mateus 11:28)

A Bíblia Sagrada, de Gênesis a Apocalipse aponta para Jesus Cristo, autor e consumador de nossa fé, como disse o próprio Senhor:

“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;” (João 5:39)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *