Evangelismo nas casas

Como começar?

É importante que a igreja possua um departamento de missões e uma equipe de irmãos disposta a realizar evangelismo na comunidade.

O departamento de missões cuidará do planejamento e do acompanhamento da execução dos trabalhos missionários realizados pela equipe de evangelismo.

Uma dica para formação da equipe de evangelismo é realizar um “culto de missões”, que é voltado para o despertamento da comunidade para a pregação do Evangelho. Ao final do culto, o líder ou preletor lançará o convite para que os interessados em entrar na equipe se manifestem.

Identificados os irmãos, o departamento de missões reunirá os participantes para discutir o plano para evangelização do bairro onde a igreja se reúne.

Nesse momento, poderão ser definidos os melhores dias e horários para o grupo trabalhar, os locais que serão visitados e outras questões conforme a localidade.

A sugestão é que o evangelismo nas casas seja realizado aos sábados e domingos, a partir das 16 horas, quando a luz do sol já não causa tantos prejuízos à pele. Mesmo assim, os missionários devem usar protetor solar e, se possível alguma proteção como um boné que contenha uma mensagem evangelística.

Equipe de evangelismo

Os irmãos que integrarem a equipe de evangelismo devem ser instruídos, antes de serem enviados para o campo.

O treinamento da equipe deverá ser constante, pois inúmeras são as maneiras de evangelizar, os cenários e os tipos de públicos a serem alcançados.

Se o plano é evangelizar em um evento cultural, a equipe deverá ser previamente instruída para aquela situação.

Nessa página, disponibilizamos algumas dicas para a realização do evangelismo em residências, apenas.

O evangelismo em residências costuma ser feito por duplas, conforme a ordem de Jesus.

Dependendo da quantidade de equipes formadas, é interessante criar alguma estratégia para evitar que uma mesma casa seja visitada mais de uma vez no mesmo dia. Se muitos forem os grupos, eles poderão ser distribuídos por duas ou mais ruas.

Na medida do possível, evitar a formação de duplas compostas apenas por homens ou apenas por mulheres.

Atuação

As equipes se reunirão regularmente no horário e local estabelecido durante reunião de ajuste. Após a chegada dos participantes e do momento de oração, as equipes serão formadas e a rota estabelecida. Após o término do evangelismo, todos deverão, no horário marcado, retornar ao ponto de encontro e entregar as informações coletadas ao responsável pelo ministério de missões, para compilação dos dados e posterior confecção do relatório de evangelismo.

O evangelismo será efetuado por ruas. É recomendável que duas equipes trabalhem numa mesma rua até que todas as casas sejam visitadas. As equipes formadas poderão dividir o trabalho de várias formas, a fim de que uma mesma casa não seja visitada duas vezes.

Ao chegar à residência alvo do evangelismo, a equipe chamará o morador para fora. Se não houver resposta, registrará a informação de que não havia alguém no local e partirá para a próxima residência.

Se alguém atender, um dos membros identificará o grupo, a igreja da qual fazem parte e a razão de estarem ali. Em seguida, um dos membros perguntará se o ouvinte teria alguns instantes para ouvir uma mensagem da Palavra de Deus.

Se o alvo do evangelismo for receptivo, um dos membros apresentará a mensagem de forma concisa, seguindo as orientações estabelecidas durante a reunião do ministério. A equipe deverá responder eventuais questionamentos e, ao término, perguntar se a pessoa gostaria de confessar e receber o Senhor Jesus Cristo naquele momento.

Caso a resposta seja positiva, registrar a informação, anotar os dados de contato, caso autorizados, e verificar se o ouvinte desejaria receber visita da igreja futuramente.

Se após a pregação, o ouvinte não receber Cristo, mesmo assim o missionário deverá entregar um folheto identificado e convidá-lo para participar do culto realizado pela igreja, sem insistir.

No final do encontro, a equipe agradecerá pela atenção, registrará as informações e seguirá para a próxima residência.

Coleta de dados

Para cada casa visitada, a equipe anotará:

1. A Rua e o número da casa;

2. Se havia alguém em casa;

3. Se o morador se recusou a ouvir a mensagem do Evangelho;

4. No caso de ter ouvido a mensagem do Evangelho, o resultado da visita:

a. Se recebeu o Senhor Jesus Cristo

b. Se aceitou receber futuramente visita da igreja

5. Se autorizado, os dados de contato de todos os que receberem Jesus Cristo;

6. Algum comentário importante e espontâneo realizado pelo ouvinte.

As informações poderão ser registradas enquanto a conversa com o morador vai acontecendo. Esse registro deverá ser efetuado por uma pessoa previamente designada para isso, e não pelo interlocutor.

No caso de o morador aceitar receber o Senhor Jesus Cristo, os dados de contato deverão ser coletados para uma futura visita.

Informações adicionais, prestadas espontaneamente pelos ouvintes, também poderão ser anotadas, como se o morador é membro de alguma outra igreja, se parou de congregar, se segue alguma religião (testemunha de Jeová, mórmon, católico, espírita), se é ateu. Esses dados poderão subsidiar a elaboração de outras abordagens de evangelismo naquela região.

O que pregar?

Após a identificação da equipe e o consentimento do morador, um dos membros falará objetivamente sobre o significado da morte de Jesus Cristo na cruz, sua ressurreição e a mensagem dele ao pecador.

Para isso, lerá textos bíblicos relacionados, como os que encontramos em Isaías 53, 1 Coríntios 15:1-8, João 3:14-21.

É importante que o morador, após ouvir a mensagem, seja convidado a aceitar o Senhor Jesus Cristo como único, suficiente e eterno salvador de sua vida.

Se oportuno, ele pode ser ensinado sobre a importância da confissão por Cristo, citando os seguintes textos Romanos 10:9-10, Mateus 10:32-33.

A mensagem deve ser concisa, rápida e precisa. Antes de visitar o próximo morador, é importante saber de antemão o que irá falar. As mensagens precisam ter um mesmo objetivo: mostrar que o ser humano é pecador, mas que pode ser perdoado por meio da fé no Senhor Jesus Cristo.

No discurso do apóstolo Pedro, que se encontra em Atos 2:22-41, encontramos esses elementos. Pedro expõe o pecado daquele povo, no caso ter crucificado Jesus. Pedro fala sobre quem é Jesus, sua ressurreição e exorta o povo para que se arrependa dos pecados e que se submetam ao batismo em nome do Senhor Jesus Cristo para o perdão dos pecados.

Em outro caso, Paulo, em sua visita a Atenas (Atos 17:22-33), vê um lugar extremamente idólatra. Quando tem oportunidade de falar, começa combatendo a idolatria e ensinando a forma de se aproximar do verdadeiro Deus. Paulo denuncia o pecado, fala sobre a necessidade de arrependimento e conclui falando sobre a ressurreição de Jesus Cristo.

Portanto, o ouvinte precisa compreender que é um pecador, de acordo com a Lei de Deus, e que a única maneira de obter o perdão dos pecados e por meio da fé em Jesus Cristo. O ouvinte precisa entender que a morte do Senhor na cruz foi uma morte substitutiva, uma vez que Jesus foi condenado em nosso lugar.

Área de atuação

O evangelismo nas residências deve ser realizado nas proximidades do local onde a igreja se reúne, pois será mais fácil acompanhar um novo convertido que more nas redondezas do que alguém que more do outro lado da cidade.

A ideia é que as ruas e os bairros mais afastados sejam atendidos pelas igrejas que estiverem se reunindo nessas localidades.

O planejamento das visitas pode ser efetuado com auxílio de um mapa (Google Maps), que facilitará a divisão do trabalho e o cálculo aproximado do tempo que a equipe levará para visitar as residências.

A mesma rua pode ser visitada mais de uma vez, pois é comum o morador não estar em casa no momento da visita. Nesse caso, a equipe anotará a informação para retornar outro dia.

Equipe de visitas

A equipe de visitas não precisa ter a mesma composição da equipe que primeiro evangelizou o morador.

Quando possível, as visitas dependerão de prévio contato e agendamento com as pessoas a serem visitadas, conforme a disponibilidade.

A equipe deverá visitar pessoas que confessaram a Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas durante a ação de evangelismo, mas que, após firmarem compromisso de se apresentar no local onde a igreja se reúne, não forem ao culto.

O intervalo entre a confissão do morador por Cristo e a visita a este, no caso do não comparecimento, não pode ser superior a trinta dias.

O objetivo maior da equipe de visitas é trazer novos convertidos ao convívio com a igreja, a fim de que sejam batizados e apresentados a doutrina cristã, sendo assim transformados em discípulos.

“(…) Sai depressa pelas ruas e bairros da cidade, e traze aqui os pobres, e aleijados, e mancos e cegos. E disse o servo: Senhor, feito está como mandaste; e ainda há lugar. E disse o senhor ao servo: Sai pelos caminhos e valados, e força-os a entrar, para que a minha casa se encha.” (Lc 14.21ss)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *