Cidades do Futuro

Programa da Visa busca potencializar benefícios do pagamento eletrônico nas cidades brasileiras

As primeiras cidades a receber o Cidades do Futuro são Maringá (PR), Campina Grande (PB) e Belém (PA). Estima-se que o aumento do uso de meios eletrônicos de pagamento pode gerar um benefício líquido de até R$ 4 bilhões* por ano nos 3 municípios em conjunto

Com o objetivo de levar os benefícios do pagamento eletrônico, tais como segurança, maior formalização da economia, eficiência e conveniência a mais cidades brasileiras, a Visa apresenta o Programa Cidades do Futuro. A iniciativa é um trabalho em conjunto com parceiros e clientes, como emissores, credenciadores e estabelecimentos comerciais, para incentivar o uso dos meios eletrônicos de pagamento em locais onde ainda predomina o uso do dinheiro em papel, buscando o desenvolvimento local. As três cidades escolhidas para iniciar o Programa são Maringá (PR), Belém (PA) e Campina Grande (PB).

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito (Abecs), em 2017 os pagamentos eletrônicos, seja crédito, débito ou pré-pago, representaram 32,6% do consumo das famílias do País, ou seja, o brasileiro utiliza o dinheiro em papel na maioria de suas compras. A diferença é maior se a análise for feita regionalmente. No primeiro trimestre de 2018, 61,8% de todas as transações eletrônicas aconteceram no Sudeste, enquanto que 10,6% foram realizadas no Nordeste e apenas 4,3% na região Norte.

“É importante ressaltar que se trata de um programa inclusivo e a receptividade tem sido muito grande, pois os benefícios são claros para todos, pessoas, empresas e governo. Vamos trabalhar de forma mais localizada para incluir digitalmente e financeiramente a população dessas cidades de maneira exponencial. E acredito que as melhorias não serão apenas ligadas a tecnologia de pagamento.

Testemunharemos, por meio do Cidades do Futuro, a evolução também dos transportes, da segurança pública, da educação financeira e da qualidade de vida das pessoas”, conta Fernando Teles, country manager da Visa do Brasil.

Esses benefícios ficam evidentes no estudo independente encomendado pela Visa à Roubini ThoughtLab, “Cidades sem dinheiro em espécie: Compreendendo os benefícios dos pagamentos digitais”. A análise mostra o impacto econômico do crescente uso de pagamentos digitais em diferentes cidades do mundo. Para se ter uma ideia, utilizando a metodologia do estudo, estima-se que o aumento no uso de meios eletrônicos de pagamento poderia gerar um benefício líquido em Maringá, Belém e Campina Grande, de até R$ 4 bilhões* por ano, quando consideradas em conjunto.

As cidades foram escolhidas por serem importantes centros regionais de desenvolvimento, com forte interesse em inovação, tecnologia e empreendedorismo, além de apresentarem uma forte penetração do dinheiro em espécie. O Programa Cidades do Futuro promoverá uma série de atividades lideradas pela Visa e parceiros, como hackathons, promoções de incentivo ao pagamento eletrônico, ações de educação financeira para a comunidade empreendedora, entre outras ações.

Um dos exemplos é a inclusão de uma ONG de cada um dos municípios dentro do Visa Causas – projeto no qual a Visa faz uma doação a cada pagamento realizado com cartão cadastrado para uma instituição ou causa que o portador escolher.

“Iniciamos com uma extensa campanha reforçando os benefícios do pagamento eletrônico e para apresentar o Programa Cidades do Futuro. Nossa expectativa é estarmos presentes nos principais meios de comunicação, nas agências bancárias, no mundo digital, outdoor, e o que for mais relevante para aquela localidade. Além disso, estamos muito atentos à importância de deixar um legado para as cidades, por isso, vamos investir tanto em educação, quanto em projetos voltados ao desenvolvimento dos pagamentos eletrônicos nos transportes públicos e no cenário tecnológico da região”, explica Eduardo Barreto, vice-presidente da Visa do Brasil. “Começamos o programa nessas três cidades, mas a ideia é levá-lo para outras regiões”.

(Fonte: https://www.visa.com.br/mais-visa/sobre-a-visa/nova-sala-de-imprensa/cidades-do-futuro.html)

COMENTÁRIOS DO EVANGELISMO.BLOG.BR

Vemos na reportagem que três cidades foram escolhidas para a implantação do projeto “Cidades do Futuro”, que foi lançado para incentivar o uso do dinheiro virtual, no lugar do dinheiro em espécie.

Se você vem estudando há algum tempo sobre a moeda global e a implantação da Nova Ordem Mundial, então provavelmente já ouviu falar nos illuminatis e em seus símbolos. Um destes símbolos está na nota de um dólar e se trata da pirâmide com o olho que tudo vê.

Se você pesquisar em sites da grande mídia controlada, verá a todo instante o esforço em afirmar que tudo não passa de imaginação e loucura ou mera teoria da conspiração. Será mesmo?

Os símbolos illuminatis, inclusive a pirâmide, estão por toda a parte: no cinema, em desenhos animados, na moda, na religião, em logomarcas de empresas, na moeda norte-americana, e muitas vezes você sequer consegue notá-los.

E não é diferente nesse caso. As três cidades foram escolhidas por algum motivo especial, mas só é possível perceber isso quando utilizamos um mapa. Vejamos:

Ao traçar uma linha reta entre as três cidades, a imagem de um triângulo aparece. Curioso é observar que ao girar o mapa, “olho que tudo vê” é colocado na sua posição habitual dentro do triângulo, aqui representado pela cidade de Brasília. Você consegue notar nesse momento o mapa do Brasil inclinado para baixo, indicando o fim do sistema atual e a figura do triângulo apontando para cima, dando a entender se tratar de algo que emergirá para se estabelecer como novo sistema nesse país.

Isso nos leva a concluir que o Brasil está na mira dos illuminatis e cedendo aos interesses ocultos dessa elite multimilionária.

Para identificar a presença desses símbolos illuminatis, é preciso criatividade e atenção. Um comercial no Youtube mostra a logomarca do Google e um plano de fundo verde. Como a imagem passa rápido no vídeo, poucas pessoas perceberão a presença do símbolo illuminati. Observe:

Você percebe como o desenho por trás da logomarca nos lembra a pirâmide e ao mesmo tempo o compasso, símbolos da maçonaria? Se traçarmos algumas linhas, o destaque será evidente:

Agora compare com a imagem abaixo e perceba que até o “G” da logomarca nos lembra o “G” da maçonaria:

Seria isso apenas uma coincidência?

Todo o sistema é controlado por uma elite globalista que está disposta a fazer qualquer coisa para garantir a execução de seus planos. Muitos tiveram suas vidas interrompidas repentinamente pelo fato de se oporem aos planos dessa elite. Um deles é John Kennedy, morto dez dias após este discurso:

Enquanto muitos acham que esse assunto é uma piada, muitos outros estão pagando com suas próprias vidas.

Se você assistiu ao vídeo inteiro, então pôde perceber que os planos para a implantação de uma Nova Ordem Mundial são reais e que todos aqueles que representarem uma ameaça a isso serão eliminados em algum momento.

Se você não sabe o que é Nova Ordem Mundial (NOM), não perca a oportunidade de assistir ao vídeo abaixo e de descobrir o que ela é e o que está sendo feito para implementá-la e isso tudo na perspectiva de seus próprios idealizadores.

Existe muita gente influente trabalhando secretamente nas organizações e governos em muitos países. O fim de todo esse esforço será a adoção de uma moeda digital global, um único governo e poder, um exército e religião. Quando isso acontecer, você estará vivendo em uma Nova Ordem Mundial.

Alguém pode se questionar dizendo “o fim do dinheiro em espécie não seria bom em vários sentidos?” Do ponto de vista lógico, o fim do dinheiro em espécie realmente representaria um avanço em vários sentidos, principalmente na questão da segurança pessoal e na diminuição da corrupção, por exemplo.

Por outro lado, teríamos o aumento extraordinário do controle sobre a vida de cada indivíduo, pois o governo poderia finalmente acompanhar com riqueza de detalhes o que as pessoas andam comprando e vendendo, mais do que já acontece atualmente.

Na prática, esse controle total sobre as finanças dos indivíduos pode ser visto na seguinte profecia bíblica:

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.” (Apocalipse 13:16,17)

Do ponto de vista profético, esse esforço para viabilizar o fim do dinheiro em espécie no mundo e no Brasil denuncia o quão estamos próximos da implantação de uma Nova Ordem Mundial, a qual terá como líder o próprio anticristo, a personalidade que empreenderá um grande massacre a todos aqueles que não concordarem com seu governo e não o adorarem.

“E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.” (Apocalipse 20:4)

Se você assistiu ao segundo vídeo até o final, então pôde ver aquele senhor falando sobre a eliminação de todos aqueles que não concordarem com o novo sistema que será implantado e isso é muito compatível com os textos bíblicos vistos acima, escritos por volta do ano 100 d. C.

Aceitar a marca da besta significa muito mais do que tão somente adquirir o inofensivo direito de comprar e vender, mas a aceitação completa de um sistema de governo em que os valores de Deus serão totalmente desprezados, significa obedecer a esta autoridade (anticristo) e adorá-la como se fosse o próprio Deus (2 Tessalonicenses 2-2:4).

Porém o fim destas pessoas será trágico:

“A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, ainda que é.” (Apocalipse 17:8)

Sem dúvida alguma, esse assunto é muito longo e merece mais estudo e pesquisa. O que você deve ter em mente é que não há como mudar isso, pois é profecia que irá se cumprir. Não adianta lutar contra o sistema, mas você pode se preparar materialmente e espiritualmente.

A única forma de se preparar espiritualmente é acreditando na mensagem do Senhor Jesus Cristo. É recebendo-o como único, suficiente e eterno Salvador de sua vida. É preciso colocar a confiança em Deus e viver em novidade de vida com a ajuda indispensável do Espírito de Deus, transformando-se em testemunha de Cristo (Atos 1:8). Prepare sua mente para aceitar o fato de que em algum momento você poderá morrer por causa de sua fé. Quando estiverem diante do momento da escolha, muitas pessoas se integrarão ao governo do anticristo, a fim de escapar de perseguição e morte, porém estarão escolhendo o caminho errado:

“Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará.” (Luca 9:24)

Embora o cristão sincero não possa aceitar a marca da besta em sua mão direita ou na testa, isso não o impede de pensar numa maneira de sobreviver a este período de grande tribulação. Você pode começar a pensar em um plano B a partir de hoje. Quando você não puder mais comprar ou vender por não possuir a marca da besta, como você fará para sobreviver? Como alimentará a sua família? Já pensou em algum lugar para o qual você possa fugir, esconder-se e ao mesmo tempo encontrar água e alimento? Você sabe como filtrar água? Você já plantou alguma árvore frutífera, sabe pescar ou como obter proteína em uma situação de caos e de exclusão social absoluta?

Se a resposta é não, comece a participar de grupos de sobrevivencialismo e aprenda com essas pessoas. Quanto mais preparado você estiver, melhor. Que tal você plantar Ora Pro Nobis ou Moringa Oleifera no seu quintal, ou mesmo em alguma área próxima de sua residência? Melhor ainda, que tal ter um abrigo em um lugar fora da cidade? Dicas de sobrevivência estão disponíveis em vários sites e até mesmo na Bíblia Sagrada:

“Então, os que estiverem na Judeia, fujam para os montes; os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que nos campos não entrem nela. Porque dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas.” (Lucas 21:21-22)

Outro exemplo típico de estratégia de sobrevivência na Bíblia é quando Faraó descobre, por meio de um sonho, que a terra passará por sete anos de fartura e sete anos de fome, conforme a interpretação dada por Deus a José, filho de Jacó. Depois de explicar o sonho, José dá também a estratégia:

“Portanto, Faraó previna-se agora de um homem entendido e sábio, e o ponha sobre a terra do Egito. Faça isso Faraó e ponha governadores sobre a terra, e tome a quinta parte da terra do Egito nos sete anos de fartura, e ajuntem toda a comida destes bons anos, que vêm, e amontoem o trigo debaixo da mão de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem. Assim será o mantimento para provimento da terra, para os sete anos de fome, que haverá na terra do Egito; para que a terra não pereça de fome.” (Gênesis 41:33-36)

Colocar a marca é proibido ao seguidor de Cristo, porém fugir e e se esconder para sobreviver não é:

“O prudente prevê o mal, e esconde-se; mas os simples passam e acabam pagando.” (Provérbios 22:3)

Quando Saulo descobriu que alguns judeus haviam tomado conselho entre si para o matar (Atos 9:23), ele procurou ajuda dos discípulos, os quais o desceram pelo muro com o auxílio de um cesto (Atos 9:25).

Embora muitos cristãos acreditem no fato de que a utilização da marca da besta será requisito para comprar e vender, por incrível que pareça, existe um grupo de pastores que pensa de forma diferente e até incentiva o uso. Veja o vídeo abaixo:

Um dos comentaristas do vídeo, o Sr. Mário Persona, afirmou que a igreja não precisará se preocupar com a marca da besta, pois apenas os “deixados para trás” é que irão vivenciar isso. Esse tipo de interpretação leva os cristãos desavisados a acreditarem que eles poderão receber uma marca qualquer na mão direita ou na testa, pois acreditarão que aquela ainda não é a verdadeira marca de Apocalipse 13, pelo fato de a igreja ainda não ter sido arrebatada. Ledo engano.

É um erro achar que a igreja será arrebatada antes da manifestação do anticristo e se você ainda pensa dessa forma, é altamente recomendado que acesse o estudo “O arrebatamento da igreja“. Segundo Paulo, o apóstolo, o arrebatamento da igreja só acontecerá ante o toque da última trombeta, e como são sete no total, não espere que ele aconteça antes do início da grande tribulação. Para mais informações, acesse o estudo.

De acordo com a Palavra de Deus, não há como sabermos o dia e a hora em que o Senhor Jesus Cristo voltará para juízo. Porém quanto aos planos illuminatis, existe em andamento uma agenda global, com datas estabelecidas para a execução das ações que culminarão na implantação de uma Nova Ordem Mundial e o controle total.

No comercial abaixo, o final do vídeo mostra uma pessoa caminhado e levantando os braços até os pulsos se cruzarem, como se estivesse usando algemas, à medida que os anos avançam de 2018 até 2023. Estaria o banco Itaú entregando algum aviso sobre algo importante para acontecer em 2023?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *