Muçulmano se converte ao cristianismo depois de não conseguir queimar a Bíblia

Azali, um paquistanês, tentou queimar a bíblia diante de um grupo de cristãos para provar que Deus não tinha poder de impedi-lo, porém a tentativa foi frustrada.

O muçulmano devoto, Azali, criado desde criança nos princípios Islã, teve uma impactante experiência na adolescência que o transformou por completo: Ele teve um encontro sobrenatural com Jesus.

Graças aos pais, Azali sabia o Alcorão de cor aos 7 anos de idade e nunca aceitou a bíblia como palavra de Deus.

“Tinha muitos colegas (ou conhecidos) cristãos na escola. Me indignava vê-los estudando numa escola, pois eu os considerava os ‘pobres da sociedade’”, disse.

Azali sempre revidava com insultos de ódio ao cristianismo e foi discutia com seus colegas que criam em Jesus.

“Sempre os obriguei a aceitar o Islã. Meu professor cristão dizia sempre para que eu não os provocasse, e um dia me advertiu dizendo: ‘Deus pode te escolher assim como fez com apóstolo Paulo’”.

“Um dia, durante uma discussão, desafiei aos cristãos a queimar os livros sagrados de ambas partes”, explicou.

Eles queimavam o Alcorão e eu queimava a bíblia. A ideia era “que o livro que incendiasse seria considerado falso e o que não queimasse, verdadeiro, porque Deus salvaria sua Palavra”, acrescentou.

Azali explicou que os cristãos não podiam aceitar o desafio devido ao forte contexto de perseguição religiosa dos extremistas islâmicos.

“Desafortunadamente, não podia aceitar, porque era perigoso. A vida é difícil em um país islâmico e aceitar poderia ser considerado ‘blasfemia’ e podiam até serem condenados à morte”, contou.

“Então eu disse que faria sozinho. Em primeiro lugar, coloquei fogo no alcorão e o livro queimou completamente diante de nosso olhos. Então tentei fazer o mesmo com a bíblia, mas a bíblia pulsou meu coração e eu caí no chão, tinha fumaça por todo meu corpo e eu estava em chamas… mas me enchi de outro tipo de fogo: o fogo espiritual”, disse Azali.

“De repente vi um homem de cabelo dourado coberto por uma luz do meu lado. Ele colocou a mão em minha cabeça e disse: Você é meu filho, agora vai e prega o evangelho em tua nação”. A experiência deixou muitas duvidas na cabeça de Azali, e ele devia buscar alguém que tivesse conhecimento para ajuda-lo.

“Fui numa igreja perto de minha casa e ali encontrei o líder da congregação. Pude contar o que aconteceu. Ele me apresentou a bíblia e eu reconheci Jesus como meu salvador, em 17 de fevereiro de 1985”, testemunhou Azali.

Atualmente, Azali está casada e tem uma família que serve a Cristo.

(Extraído de: http://conscienciacristanews.com.br/muculmano-se-converte-ao-cristianismo-depois-de-nao-conseguir-queimar-a-biblia/)

COMENTÁRIOS DO EVANGELISMO.BLOG.BR:

Quando Deus tem um plano para alguém, Ele sempre dá um jeito de trazer essa pessoa para a sua presença e isso pode acontecer de várias maneiras diferentes.

A conversão das pessoas que moram em locais mais perigosos para os cristãos costuma ser mais especial do que as que presenciamos aqui no Brasil, onde praticamente não existem perseguições.

Uma vez convertidas à fé no Senhor Jesus Cristo, essas pessoas também costumam apresentar um interesse maior no relacionamento com Deus e com sua obra, chegando inclusive a arriscar a própria vida por amor à Palavra de Deus.

Logo, a conclusão a que se chega é que quanto maior a dificuldade, maior será o milagre da conversão e também o grau de espiritualidade do convertido ao Senhor.

Quanto à declaração do professor de Azali, vale esclarecer que a escolha, a que se referiu o professor, ocorreu ainda durante a fundação do mundo (Efésios 1:4), há muito tempo atrás. Só estava faltando Deus chamar o escolhido (Romanos 8:28-31).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *