As falsas testemunhas de Deus

Para ser uma verdadeira testemunha de Deus, é preciso pregar o evangelho da forma correta, sem heresias, doutrinas de demônios e interesses particulares.

Em 1 Coríntios 15, há um resumo do que é o evangelho de Deus:

“Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.” (1 Coríntios 15:1-4)

O núcleo da fé cristã é este: Jesus Cristo (Yeshua) morto por causa de nossos pecados e ressuscitado ao terceiro dia. Acreditar na ressurreição de Cristo é portanto elemento primordial para uma fé perfeita.

Apesar de todos os sinais que o Senhor Jesus Cristo deu de que realmente havia ressuscitado ao terceiro dia, alguns grupos religiosos não acreditam em sua ressurreição corpórea, ainda que fundamentem suas teses nas Escrituras Sagradas ou em parte delas. É o caso dos judeus, dos espíritas, das testemunhas de Jeová, etc.

Porém esse equivocado entendimento, o de que Cristo não ressuscitou, é contrário ao que dizem as Escrituras, bastando para isso observar os testemunhos encontrados nelas mesmas.

1- Testemunhos dos anjos:

“E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes. E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia,” (Lucas 24:4-6)

2- Testemunho dos soldados que guardavam o corpo de Jesus Cristo:

“E, quando iam, eis que alguns da guarda, chegando à cidade, anunciaram aos príncipes dos sacerdotes todas as coisas que haviam acontecido.” (Mateus 28:11)

3- Testemunho dos apóstolos:

“Aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando das coisas concernentes ao reino de Deus.” (Atos 1:3)

4- Testemunho de Paulo:

“Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.” (1 Coríntios 15:20)

5- Testemunho de Maria Madalena, Joana e Maria:

“E, voltando do sepulcro, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os demais. E eram Maria Madalena, e Joana, e Maria, mãe de Tiago, e as outras que com elas estavam, as que diziam estas coisas aos apóstolos.” (Lucas 24:9-10)

6- Testemunho do Senhor Jesus:

“E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.” (Apocalipse 1:18)

7 – Testemunho profético (Antigo Testamento)

“Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.” (Salmos 16:10)

De acordo com Pedro, Jesus pregou aos espíritos em cadeia, conforme 1 Pedro 3:19. Jesus realmente foi ao inferno, porém sua alma não foi deixada lá, conforme a profecia acerca de sua ressurreição.

As verdadeiras testemunhas de Deus devem dizer que Jesus Cristo realmente ressuscitou, em carne e osso, num corpo que foi glorificado:

“Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já agora está no mundo.” (1 João 4:2-3)

Crer na morte de Cristo, mas não crer na ressurreição corporal do Senhor é sinal de que essa pessoa ainda não tem a fé salvífica.

“Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé. E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus, pois testificamos de Deus, que ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não ressuscitam.” (1 Coríntios 15:12-15)

Grupos religiosos podem reconhecer a existência de Jesus Cristo ou fazer uso de parte de seus ensinos, porém a fé genuína consiste em crer que Jesus Cristo morreu pelos nossos pecados e ressuscitou dentre os mortos, ao terceiro dia, e no mesmo corpo.

Dentre os grupos que negam essa verdade, destaca-se o denominado Testemunhas de Jeová, o qual ensina que Jesus Cristo não ressuscitou literalmente em carne e osso, mas apenas em espírito (Fontes: “O que a Bíblia Realmente Ensina”, Capítulo 4, Parágrafo 21 , disponível em http://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/biblia-ensina/quem-e-jesus-cristo e Capítulo 5, Parágrafo. 13, disponível em http://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/biblia-ensina/o-resgate-a-maior-dadiva-de-deus).

Para justificar isso, o grupo se apoia principalmente no texto de 1 Pedro 3:18, que foi traduzido incorretamente na versão da Bíblia Tradução do Novo Mundo, já conhecida pelos inúmeros erros grosseiros de tradução.

A referência daquela Bíblia diz:

“Ora, até mesmo Cristo morreu uma vez para sempre quanto aos pecados, um justo pelos injustos, a fim de conduzir-vos a Deus, sendo morto na carne, mas vivificado no espírito.”

Porém as demais versões bíblicas trazem o seguinte texto:

“Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;” (1 Pedro 3:18)

Analisando as demais referências bíblicas que falam sobre a ressurreição corporal de Jesus e considerando as traduções presentes nas demais impressões da Bíblia, chegamos à óbvia conclusão de que o correto é considerar que Jesus foi vivificado pelo Espírito, e não “no espírito”, isto é, apenas em espírito.

Note que já é um absurdo acreditar em ressurreição “do espírito” ou “no espírito”, uma vez que o espírito nunca morre.

Outro erro gravíssimo encontrado na tradução Novo Mundo está em João 1:1:

“No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era [um] deus.” (João 1:1)

Nesse capítulo, o termo “Palavra” está relacionado a Jesus, porém Jesus é tratado como um “deus”.

De acordo com a Bíblia, a palavra “deus”, grafada em minúsculo, refere-se a um falso deus, pois não existe “deus” fora dele (Isaías 45:5).

O erro pode ser facilmente superado ao observarmos a própria Bíblia Novo Mundo. Nela é possível observar em Isaías 9:6 que o Messias (Jesus) é tratado com o seu devido respeito, com “D” maiúsculo. Observe:

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o domínio principesco virá a estar sobre o seu ombro. E será chamado pelo nome de Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz.” (Isaías 9:6)

Em Isaías 40, o SEMHOR está falando acerca da voz do que clama no deserto. No versículo 9 desse capítulo, Ele manda essa voz subir a um alto monte e anunciar fortemente “Eis aqui está o vosso Deus”, ou seja, no meio deles. É mais um texto que aponta para Jesus Cristo, com “D” maiúsculo.

É notório que João Batista cumpriu essa profecia ao falar que Jesus é o Cordeiro de Deus, o Salvador do mundo, que estava ali no meio deles. Jesus é, sem dúvida alguma, o Deus conosco (porém essa referência foi omitida na Bíblia Novo Mundo).

Quanto ao destino do corpo de Jesus, as Testemunhas de Jeová dizem que o Senhor “Jeová”, após ter ressuscitado Jesus “em espírito”, o tomou da sepultura ao terceiro dia para si.

Segundo esse ensino, o corpo de Jesus não foi ressuscitado, mas apenas removido do túmulo (Fonte: “Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra”, Capítulo 17, Parágrafo 8, Pág. 144).

Essas testemunhas dizem ainda que o Senhor Jesus usou um corpo “similar” para aparecer aos discípulos, inclusive com marcas de ferimentos idênticas às que o verdadeiro corpo de Jesus sofreu, para que assim pudesse convencer mais facilmente os discípulos acerca de sua ressurreição. (Fonte: “Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra”, Capítulo 17, Parágrafo 9, Pág. 144-145)

Sendo mais direto, segundo essas testemunhas, Jesus teria usado de uma artimanha para convencer os discípulos de que Ele havia ressuscitado.

Observe as palavras do Senhor Jesus, quando Ele apareceu aos discípulos:

“Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés.” (Lucas 24:38-40)

Observe que Jesus diz “sou eu mesmo” para mostrar que o seu corpo era o mesmo que havia sido surrado, perfurado e crucificado pelos guardas romanos. Ele não surgiu com um corpo “similar”, mas sim com o original.

Apenas Deus pode ser adorado e Jesus deixou isso claro quando foi tentado no deserto (Mateus 4). Porém o mesmo Jesus, por diversas vezes, foi adorado pelas pessoas que se aproximaram dele, como nesse caso:

“E, eis que veio um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo.” (Mateus 8:2)

Para negar isso, a versão Novo Mundo registra:

“Então um leproso chegou e se curvou diante dele,* dizendo: “Senhor, se apenas quiser, pode me purificar.” (Mateus 8:2)

É notável o esforço dos tradutores da versão Novo Mundo da Bíblia para ocultar a realidade de que Jesus é Deus (o Verbo encarnado), substituindo nessas referências a expressão “adorar” por alguma outra como “honrar”, “curvar” ou mesmo “homenagear”, como em Hebreus 1:6.

Mas alguns detalhes passaram despercebidos na Bíblia Novo Mundo. Veja você mesmo as referências a seguir naquela versão:

Jesus disse que apenas Deus é bom (Marcos 10:18). Se apenas Deus é bom, então por que Jesus teria dito ser ele o “bom Pastor”? Veja isso em João 10:11;14.

Se a autoridade pertence a Deus (Salmos 62:11), então por que toda a autoridade no céu e na terra está com o Senhor Jesus Cristo (Mateus 28:18)?

Se Jesus mandou as pessoas batizarem em nome do Pai (que é YHVH), Filho e do Espírito Santo, então por que todos os discípulos unanimemente batizaram as pessoas em nome do Senhor Jesus Cristo (Atos 2:38; 10:48; 19:5)?

As falsas testemunhas não estão a serviço de Deus porque negam a ressurreição corpórea de Jesus Cristo. Quem não crê nisso tem uma fé incompleta para a salvação, portanto inútil.

O Senhor Jesus está vivo, não apenas no Espírito, mas também em carne e osso, no corpo glorificado capaz de comer peixe e favo de mel (Lucas 24:42-43) e também de aparecer repentinamente em qialquer lugar fechado (João 20:26).

“Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que EU SOU, morrereis em vossos pecados.” (João 8:24)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *