Igreja Presbiteriana pode aprovar mudança constitucional para aceitar o casamento gay em breve

A Igreja Presbiteriana nos Estados Unidos pode estar se aproximando de uma mudança na sua constituição que iria abençoar o casamento gay.

A Assembleia Geral da Igreja votou por aceitar o casamento gay em junho passado, e agora, o próximo movimento deverá ser a conclusão da avaliação da matéria pelos 172 presbitérios para mudar a posição da Igreja sobre o casamento gay.

De acordo com informações do Christian Today, até o momento, a votação foi concluída em 40% por cento dos presbitérios que regem a igreja, com 51 presbitérios votando a favor da aceitação do casamento gay, enquanto 23 votaram contra a alteração constitucional.

Se o cenário prévio for levado em consideração, a possibilidade de aceitação do casamento gay na tradicional denominação protestante é grande.

Caso seja aprovada, a mudança na constituição da Igreja Presbiteriana estabeleceria que o casamento é um “compromisso único entre duas pessoas”, ao contrário da definição que atualmente é aceita e que diz que o casamento é um “compromisso único entre e homem e uma mulher”.

O Charisma News informa que alguns pastores presbiterianos já receberam permissão para celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo nos Estados norte-americanos onde a prática é reconhecida pela legislação.

A maior abertura à homossexualidade na Igreja Presbiteriana não é recente. Há quatro anos, a denominação passou a aceitar a ordenação de homossexuais para ministérios eclesiásticos, após uma apertada votação.

Divergência

O embate sobre a aceitação do casamento gay nas igrejas norte-americanas é protagonizado por aqueles que que defendem a ideia como forma de legalizar o que já acontece na realidade e por outro lado, pelos que apontam a Bíblia como razão para continuar reprovando a homossexualidade.

O pastor Rob Bell, notório apoiador do casamento gay, disse recentemente que é inevitável que as uniões homossexuais sejam permitidas e reconhecidas entre os evangélicos. “Muitas pessoas [homossexuais] já estão lá [na igreja]. Achamos que é inevitável e estamos a momentos de distância da aceitação da Igreja”.

Já o pastor Woody Butler entende que a aceitação do casamento gay marcará a queda da igreja: “Muito poucas igrejas pentecostais cheias do Espírito Santo abriram as portas para o casamento gay, mas infelizmente algumas já abriram. Para mim, as denominações que fazem isso estão dando um passo para a queda da igreja nos Estados Unidos”, disse o líder da Life Church Charleston, na Carolina do Norte.

(Fonte em: http://noticias.gospelmais.com.br/igreja-presbiteriana-aceitar-casamento-gay-breve-74656.html)

Comentários do Evangelismo.blog.br:

Homossexualismo, a exemplo de feitiçaria, idolatria, adultério, fornicação, prostituição e avareza, é apenas mais um dos pecados que as Escrituras Sagradas abertamente combatem:

"Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher" (Marcos 10:7)

"Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;" (Levítico 18:22)

O raciocínio do pastor Rob Bell é antibíblico porque privilegia um comportamento humano em prejuízo dos princípios cristãos e dos ensinamentos presentes nas Escrituras Sagradas. Nós devemos nos adaptar à Palavra de Deus ou a Palavra deve ser adaptada à realidade do ser humano?

Se entre a congregação existem pessoas que se sentem atraídas por outras do mesmo sexo, as regras não devem mudar para atender aos interesses delas, da mesma forma que não devem mudar para atender aos interesses de qualquer outra pessoa. Deus ama os homossexuais (o pecador), mas não a prática do pecado. O amor de Deus direciona o homem ao arrependimento dos pecados e à salvação em Jesus Cristo.

No lugar de concordar com a "legalização" de uma conduta reprovada por Deus, homens como o pastor Rob Bell deveriam pregar a verdade, anunciar o evangelho da salvação, o arrependimento dos pecados e o nome do Senhor Jesus Cristo como único Senhor e Salvador.

"Todos os seus atalaias são cegos, nada sabem; todos são cães mudos, não podem ladrar; andam adormecidos, estão deitados, e gostam do sono. E estes cães são gulosos, não se podem fartar; e eles são pastores que nada compreendem; todos eles se tornam para o seu caminho, cada um para a sua ganância, cada um por sua parte. Vinde, dizem, trarei vinho, e beberemos bebida forte; e o dia de amanhã será como este, e ainda muito mais abundante." (Isaías 56:10-12)

Evangelismo.blog.br: Porque evangelizar é necessário