O que é?

Evangelismo é o cumprimento do "ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura". Essa ordem foi dada pelo Senhor Jesus Cristo aos homens e precisa ser cumprida...

"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas." (Romanos 10:13-15)

Evangelismo não é uma aventura, mas uma guerra espiritual. Existem algumas questões importantes que devem ser observadas, que vão da preparação com estudo, oração e jejum até a forma de realizar a abordagem das pessoas.

"Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério. Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé." (2 Timóteo 4:5-7)

Quem pode evangelizar?

Não é para quem gosta, mas para quem foi chamado para isso:

“E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores” (Efésios 4:11)

O evangelismo é um trabalho bonito, mas às vezes, penoso para os que o fazem. Os evangelistas devem estar preparados para enfrentar de forma pacífica os opositores, não pagando com mal o mal recebido.

"Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, E nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos; Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos." (1 Coríntios 4:11-13)

Na prática, tanto homens como mulheres podem fazer o evangelismo, em grupos formados por duas, três ou até mais pessoas.

"Chamou a si os doze, e começou a enviá-los a dois e dois, e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos;" (Marcos 6:7)

Evangelismo realizado por uma só pessoa não é recomendado, mas não pode ser descartada essa possibilidade, pois existem situações em que o próprio Deus ordena, como aconteceu com Filipe, ao evangelizar o eunuco (Atos 8:86-29).

Às vezes, o chamado para o evangelismo pode ser para toda a família, incluindo o pai, a mãe e os filhos que estejam com idade suficiente para realizar esse trabalho. Isso é bom porque há um despertamento para as coisas de Deus, para uma vida espiritual saudável.

"Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor." (Josué 24:15)

A importância do evangelismo

O evangelismo é um serviço muito importante e envolve muita responsabilidade de quem o faz. Segundo a Palavra, quando alguém anuncia a Palavra, muitos dos anjos de Deus acompanham a pregação:

“Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar.” (1 Pedro 1:12)

Quando há uma confissão para Jesus Cristo, esses mesmos anjos se alegram e comemoram pelo fato de um pecador ter se arrependido.

"Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende." (Lucas 15:10)

O evangelismo é uma das principais atividades que a igreja deve realizar, e uma das mais nobres também, em obediência ao que disse o Senhor Jesus.

"Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra." (Atos 1:8)

Dedicação nos estudos

O evangelista deve se dedicar bastante ao estudo da Palavra de Deus:

"Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes." (Tito 1:9)

Quando Jesus pregou a Palavra, por muitas vezes Ele foi questionado por homens, quase sempre para o experimentar a fim de o pegar com dolo. Jesus sempre deu respostas perfeitas, que calavam os opositores, porque uma das funções da Lei de Deus é calar a boca do homem.

"Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus." (Romanos 3:19)

Se até Jesus foi desafiado, o que dizer de nós agora. A única maneira de vencermos os questionamentos é respondendo-os corretamente, de acordo com a Palavra de Deus. Por isso é necessário um bom nível de conhecimento.

O que pregar?

Fundamentalmente a mensagem da cruz, que é loucura para os que perecem, mas o poder de Deus para salvação de todos aqueles que creem.

Antes de falar do amor de Jesus Cristo e da graça de Deus para as pessoas, é muito importante que se pregue o juízo primeiro, ou seja, que se fale sobre a lei de Deus, que julgará a todos os homens pelos pecados cometidos.

Estamos no período da graça, porém esta graça se aplica apenas aos que estão em Jesus Cristo (Romanos 8:1). A Lei de Deus ainda está em vigor hoje para os que estão fora de Cristo:

"Sabendo isto, que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os homicidas" (1 Timóteo 1:9)

As pessoas precisam de ser informadas acerca do pecado e de que isso trará uma consequência: a condenação.

"E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos; Para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele." (Judas 1:14-15)

Após esse esclarecimento, as pessoas estarão aptas para ouvirem a mensagem do evangelho, que significa boas novas, isto é, Jesus Cristo morto pelos nossos pecados, para nos livrar da condenação certa, e ressuscitado ao terceiro dia para garantir a sua promessa de salvação.

Depois de perceberem o quão encrencadas estão, as pessoas finalmente entenderão o valor do sacrifício de Jesus na cruz e o receberão como Salvador de suas vidas pelos motivos certos: arrependimento por um justo ter sido condenado imerecidamente em seu lugar e agradecimento por essa grande demonstração de amor.

"Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta." (Mateus 13:23)

Diferente é quando alguém apresenta Jesus como um mero solucionador de problemas afetivos, de saúde, financeiros e etc. Além do fato de nem todas as pessoas sofrerem com esses tipos de problemas, o que já tornaria Jesus desinteressante, existe ainda a possibilidade de essa pessoa desanimar pelo fato de os problemas terem apenas aumentado após a confissão por Cristo:

"O que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria; Mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição, por causa da palavra, logo se ofende;" (Mateus 13:20-21)

Recompensa

Há um grande galardão reservado para todos aqueles que servem ao Senhor e principalmente para os que sofrem alguma perseguição por causa do amor a Jesus Cristo e à sua obra.

"Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós." (Mateus 5:11-12)

Porém jamais devemos servir ao Senhor por causa da recompensa que Ele dará, mas o sirvamos em agradecimento pelo que Ele já fez.

A graça de Deus nos basta e o que vier a mais é dom, é presente!

Preparação

Antes de sair para evangelizar, seja onde for, algumas providências devem ser tomadas.

No âmbito espiritual, o evangelista deve separar um tempo para orar a Deus e pedir a sua benção para realizar esse trabalho tão importante. É importante que essas orações sejam acompanhadas também por jejuns, pois existe uma casta de demônios que só se expulsa por meio de oração e jejum (Mateus 17:21).

Também deve haver preocupação com a vigilância.

"Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo." (Marcos 13:33)

"E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção. Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós" (Efésios 4:30-31)

Uma pessoa que esteja vivendo uma situação de pecado não pode sair para evangelizar, pois poderá ser envergonhada pelo inimigo. Existem pecados graves que devem ser evitados a todo custo. Se por algum motivo, o evangelista cometer uma dessas faltas, deve considerar seriamente a sua situação e não ir ao bom combate.

Avise aos mais próximos sobre as atividades que irá realizar, para que saibam onde encontrá-lo, caso precisem. Ande apenas com o essencial, pouco dinheiro para o transporte e alimentação, documentos de porte obrigatório e roupas mais leves. Não há necessidade de andar com um terno nas ruas, prefira roupas mais leves e confortáveis para enfrentar o calor.

As mulheres devem evitar roupas transparentes ou que marquem o corpo. Os calçados devem ser confortáveis, por isso dê preferência aos tênis. A Bíblia não proíbe a mulher de usar calça jeans, porém modelos chamativos ou sedutores devem ser substituídos por modelos discretos. Caso a doutrina da igreja da qual faça parte não permita o uso de calças, então siga a regra. Lembre-se de beber bastante água e de descansar a garganta em intervalos regulares.

Para anunciar a Palavra de Deus em alguns locais, será necessário obter autorização do responsável. Antes de iniciar a pregação, lembre-se de agradecer pela oportunidade concedida, pois assim ninguém poderá reclamar.

Existem estratégias diferentes para cada tipo de evangelismo, seja apenas com folhetos, com serviço de som, individualmente, em casas. Para cada uma dessas situações, há uma forma mais interessante de trabalhar. Com o tempo, naturalmente novas ideias vão surgindo e o trabalho vai sendo aperfeiçoado a cada nova experiência.

Não há uma receita de bolo para realizar o evangelismo, por isso é sempre bom pedir a Deus sabedoria e direção em tudo o que for fazer.

Rodoviária

A anunciação da Palavra de Deus poderá ocorrer de forma individual, em grupos, com distribuição de folhetos ou ainda com serviço de som.

Caso haja utilização de caixa de som, será preciso obter autorização prévia da administração da rodoviária. É importante comunicar a autoridade policial acerca do projeto, a fim de evitar qualquer surpresa desagradável.

Ao iniciar a utilização do som, deve ser reservado um pequeno espaço para os agradecimentos, primeiro para Deus, por ter criado a oportunidade, para a administração da rodoviária, por ter cedido o espaço e para a autoridade policial.

Como se trata de uma rodoviária, a pregação não pode ser demorada, algo em torno de 15 minutos. Evangelismo não é culto, portanto alguns elementos presentes em cultos não se farão presentes nesse trabalho.

O que falar em 15 minutos? É muito pouco tempo, mas como houve uma preparação, dá para falar sobre o pecado e a sua consequência, o arrependimento pelos pecados, como Deus perdoa o pecador em Jesus Cristo e a volta do Senhor para buscar a sua igreja, o seu povo. Apresentar a Cristo como solucionador de problemas pessoais, financeiros, amorosos, nem pensar.

Outras mensagens de 15 minutos poderão ser pregadas no decorrer do trabalho, desde que respeitado o intervalo de 30 minutos entre elas, que é o tempo aproximado para a chegada de novas pessoas que não ouviram a mensagem anterior. Se a rodoviária for muito grande, a caixa poderá ser instalada em outros pontos.

Ao final da mensagem, o pregador deverá fazer o convite para a confissão por Jesus Cristo. O pregador pode sugerir que o interessado em confessar a Cristo levante a sua mão para o alto. Se houver confissão, o pregador poderá fazer uma oração de apresentação dessa pessoa a Deus, enquanto outra(s) se dirige(m) aos alcançados pela Palavra para lhes dar os parabéns, entregar algum material escrito com orientações gerais para novos cristãos.

Durante esse intervalo, a equipe pode se concentrar na evangelização por folheto, já devidamente carimbado com o endereço da congregação e de um site, se houver. Nesse momento, algumas pessoas poderão fazer perguntas, por isso é importante estar preparado para dar uma boa resposta.

O pregador ou pregadores devem ser objetivos, falar apenas de Bíblia, evitar contar testemunhos pessoais e outros assuntos que nada tem a ver com a Bíblia, como corrupção na política, derrota de um time de futebol, morte de alguém famoso, etc. A lei de Deus é perfeita para converter as pessoas.

O pregador deve ter boa dicção, uma voz agradável e audível. O equipamento de som deve estar regulado em um volume agradável e deve ser bem posicionado, se possível com o vento a seu favor. O evangelista deve manter um mesmo volume de voz do início ao fim, sem gritos e sem gestos agressivos, evitando também criticar outras religiões.

Ao encerrar a mensagem, agradecer a todos pela atenção e se for o caso, procurar um novo local para instalação do som. Nas rodoviárias, além dos passageiros, existem os comerciantes e os ambulantes que se instalam no local.

Se houver mais de uma pregação, é importante que a mensagem seja diferente da primeira, outro capítulo, mas igualmente dirigida para o arrependimento do ouvinte, pois um dos objetivos da lei de Deus é conduzir o pecador perdido à única esperança de salvação: Jesus Cristo.

No caso de evangelismo unicamente com folhetos, dependendo da quantidade de pessoas, poderão ser criados grupos que ficarão sempre próximos. Onde há grande movimentação de pessoas, evitar se colocar diretamente no caminho do fluxo, mas sempre aos lados, formando uma espécie de túnel, estendendo a mão e esperando que alguém pegue o folheto.

A abordagem individual de quem está ocioso deve ser com uma saudação do tipo "bom dia", "olá", "com licença". Depois disso a pergunta "Gostaria de receber uma mensagem acerca da Palavra de Deus?". Se a pessoa disser não, então não insista e não diga mais nada, apenas saia.

Pessoas que estão em movimento são mais difíceis de serem fisgadas, mas as que estão paradas em filas aguardando o ônibus estão mais dispostas a ler. A entrega de folhetos deverá começar pelo início da fila, pois assim você será visto pelos demais, tornando a entrega de folhetos mais rápida.

O grande problema atual é o celular. Muitas estarão concentradas com seus celulares. Nesse caso, chame a atenção dessa falando com outra pessoa que esteja próxima dizendo "receba uma mensagem da Palavra de Deus". Assim você despertará a atenção da que está entretida com o aparelho de forma mais simples.

Não é obrigatório, mas é interessante que os membros dos grupos de evangelismo estejam vestidos com camisas personalizadas com mensagens bíblicas. Isso será como um cartão de visitas que mostra a intenção do grupo.

Deve haver um ponto de encontro e horário para reagrupamento. No caso da formação de vários grupos e de evangelização em rodoviárias grandes, deverá haver um celular, ou rádio, para cada grupo, sob a posse do líder do grupo, a fim de comunicar a ocorrência de algum imprevisto.

É possível que algum morador de rua apareça pedindo dinheiro. Nesse caso, fale de Jesus para ele e no lugar do dinheiro, patrocine um lanche. Portanto leve consigo um pouco de dinheiro para estar preparado para essas situações. Em muitas cidades, existem igrejas que custeiam ONGs que recebem moradores de ruas e dependentes químicos para tratamento gratuito e libertação espiritual. Se existe uma em sua cidade, saiba como ajudar e como encaminhar pessoas até essa unidade.

Ônibus

Evangelismo no ônibus pode ser feito com folhetos ou por meio de pregação mesmo. Nesse último caso, deve ser observada a legislação do município. Além disso, por uma questão de educação, o pregador pode obter com o cobrador do ônibus uma autorização simbólica para pregar a Palavra.

Se o evangelismo ocorrer com folhetos, entregue apenas para as pessoas que estiverem com os olhos abertos. Olho fechado é um possível sinal de rejeição e de desinteresse, ainda mais se a pessoa estava com o olho aberto até você chegar perto.

Não insista quando alguém não quiser a mensagem e não dirija qualquer palavra para essa pessoa. Evite entregar folhetos se o ônibus estiver muito cheio. Nesse caso, espere esvaziar um pouco para começar a entregá-los.

Conheça a mensagem do folheto e não adquira qualquer tipo de folheto para a entrega, pois alguns têm uma mensagem confusa. Dê preferência aos que possuam uma mensagem de exortação ao arrependimento e salvação em Jesus Cristo.

Se o evangelismo ocorrer com pregação da Palavra de Deus, em primeiro lugar deverá escolher um local estratégico, para se posicionar e anunciar a Palavra. O pregador deve procurar os locais mais à frente e mais vazios. Após cumprimentar os passageiros, deverá informar o motivo de ter entrado no ônibus e em seguida já partir para a leitura da Palavra de Deus, informando o livro, capítulo e os versículos.

A mensagem precisa ser objetiva e, geralmente, não prolongada. Isso vai depender muito do tempo de viagem, se o ônibus é circular, intermunicipal, se as pessoas estão bem dispostas, etc.

O pregador deve falar com o tom de voz suficiente para alcançar as pessoas posicionadas mais distantes, mas sem falar exageradamente alto, para não prejudicar as que estiverem mais próximos.

Quando o ônibus se movimenta mais rapidamente, geralmente o ruído também aumenta. Se você conhece o trajeto, espere para começar a pregação após chegar a um ponto de congestionamento, pois assim, poderá poupar a sua voz e permitir que os passageiros ouçam a mensagem com mais facilidade.

A mensagem deve seguir os padrões já indicados no item "O que pregar?". Pregue com educação, mansidão, temperança, sabedoria e seja verdadeiro o tempo todo. Não tenha receio de pregar o Evangelho de Cristo na íntegra, mas nunca emita juízos pessoais.

Ao final da mensagem, fazer o convite pela confissão por Jesus Cristo, citando Mateus 10:32-33 para isso.

Se houver alguma confissão, ore por essa pessoa, de onde está mesmo, porque não há recomendação bíblica para impor as mãos nas cabeças das pessoas de forma precipitada, mas pelo contrário (1 Timóteo 5:22).

Após a oração de apresentação dessa vida a Deus, pedindo o perdão de seus pecados e a inscrição do nome dessa pessoa no livro da vida, poderá sugerir aos presentes o cumprimento do Salmos 47, em agradecimento pela Palavra lida e pelas vidas alcançadas. O evangelista é o primeiro a aplaudir a Jesus, para mostrar que não está recebendo a glória no lugar de Deus, porque na verdade a honra pertence somente ao SENHOR.

Para finalizar, peça a Deus que abençoe a cada vida de cada um e agradeça a todos pela atenção. Entregue folhetos, livretos ou Bíblias para os alcançados pela Palavra, dando honras e glória a Deus por tudo.

É importante que o evangelista possua algum material para entregar aos novos cristãos. Caso deseje um, poderá fazer o download da "Cartilha do novo convertido", disponível no menu "Estudos bíblicos" desse site.

Não peça dinheiro e não aceite receber dinheiro de alguém, a não ser que não tenha renda fixa e viva apenas para pregar o Evangelho de Cristo. Nesse caso, não seja insistente. Peça uma vez só, sem determinar um valor e diga para a honra e glória de Deus que vive apenas para fazer a obra do Senhor. No final, ore por todos, e não somente pelos que colaboraram.

A grande maioria dos pregadores de ônibus e de rua que pude ouvir não trouxeram a mensagem de arrependimento dos pecados, mas tão somente mensagens sobre bênçãos e favores de Deus. Curiosamente todos eles pediram algum dinheiro depois que acabaram de pregar. Seria isso apenas uma coincidência? Será que o desejo de arrecadar algum dinheiro teria de alguma forma influenciado na mensagem anunciada?

Agora procure imaginar o profeta Jeremias pregando benção e prosperidade ao povo, para assim ficar mais fácil de ganhar alguns presentes... Isso não aconteceu!

Jeremias anunciou a dura verdade que o povo de Israel e o rei não queriam ouvir. Por causa disso, o homem de Deus até preso foi (Jeremias 32:1-5).

Evangelismo não é profissão e nem fonte de renda. A regra é trabalhar para não ser pesado aos demais. Quem não pede dinheiro após a pregação também não corre o risco de prejudicar ainda mais a já manchada imagem da igreja, por causa da ganância dos pastores, apóstolos, bispos, reverendos, obreiros (etc) que enriqueceram à custa da fé alheia.

"Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus." (1 Tessalonicenses 2:9)

Hospital

O evangelismo no hospital requer uma autorização da administração. É preciso entrar em contato com o hospital e verificar os requisitos para o ingresso do grupo de evangelismo, a quantidade de pessoas que podem entrar, geralmente são poucas, horário e os locais permitidos para a execução desse trabalho.

A Constituição Federal assegura, no Art. 5º: (...)

VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva;

Nesse caso, o hospital não pode recusar, mas pode estabelecer as regras, as quais devem ser seguidas.

Abordagem em apartamentos particulares: solicitar autorização para entrar e falar sobre a Palavra de Deus e Jesus Cristo. Se houver permissão, entrem no máximo duas pessoas. Se o paciente for mulher, o ideal é que entrem apenas duas evangelistas, ainda mais se o marido da paciente estiver lá. Se for um homem ciumento, irá prejudicar o trabalho de evangelismo. O mesmo se aplica para o caso de paciente homem acompanhado pela sua esposa. Duas evangelistas jovens podem criar algum sentimento de ciúme e atrapalhar o evangelismo. Vigiar nunca é demais.

Os evangelistas devem falar de forma delicada acerca de Deus e do plano de salvação do homem, em baixo tom de voz. Ao final, é necessário fazer o convite para a confissão por Jesus Cristo como Senhor e Salvador de sua vida.

Se o paciente ou algum acompanhante disser que sim, orar apresentando essa vida a Deus e entregar algum material apropriado para novos cristãos e, se possível, presenteá-lo com uma Bíblia carimbada com o endereço da congregação. Se disser que não, agradecer pela atenção, entregar algum folheto e ir em busca de outras vidas.

Atenção! É importante não olhar para os pacientes com um olhar de pena ou de espanto. Isso só vai piorar o estado emocional deles. É preciso ser positivo e, na medida do possível, esbanjar o sorriso amoroso no rosto.

Esteja preparado para enfrentar questionamentos do tipo "Se Deus é tão poderoso, porque eu estou aqui?" ou pedidos do tipo "ore por mim para Deus me curar".

Para responder isso, diga que esse não era o plano inicial de Deus, quando criou o homem. Porém após o pecado, a terra foi amaldiçoada e agora, independentemente do fato de ser cristão ou não, todos estão sujeitos às enfermidades. Por fim, explicar que ainda que o corpo pereça, o mais importante é a salvação e a vida eterna com Deus, livre de dor e sofrimento.

A solicitação para oração pode ser atendida de pronto, mas é importante esclarecer que Deus poderá curar o paciente ou não e que tudo vai depender da fé da pessoa e da vontade de Deus. Explicar que existe propósito para todas as coisas, e que mesmo que não compreendamos os caminhos de Deus, jamais devemos blasfemar ou desistir de amá-lo, pois é bom e sabe de todas as coisas.

A abordagem nos apartamentos coletivos: a entrada pode ser feita com uma saudação, em baixo tom de voz. Entrem duas ou no máximo três pessoas, sempre portando suas Bíblias. Nesse momento, fazer uma rápida apresentação e perguntar se alguém deseja receber uma oração.

Caso haja, além da oração, deverá ser lida uma mensagem de ânimo, mas sem esquecer de pregar o arrependimento e a salvação em Jesus Cristo. Isso é uma conduta essencial.

Entrega de folhetos também é uma boa alternativa, principalmente para quem fica bastante tempo em tratamento num hospital. Se possuir livretos, melhor ainda. Caso haja recursos para isso, o ideal é presentear alguns pacientes com Bíblias, acompanhadas de planos de leitura e de estudo.

Como se trata de ambiente hospitalar, lembre-se de higienizar as mãos com bastante frequência, aplicando álcool. Evite passar a mão no rosto, nos olhos, boca e nariz, pois pode ocasionar alguma contaminação.

Jesus disse: "se beberdes alguma coisa mortífera, não lhes causará dano", porém Ele disse também: "Não tentarás ao Senhor teu Deus". Portanto, não brinque com a sua saúde e com a saúde alheia.

Nos corredores do hospital e nos locais de espera, pode haver entrega de folhetos, de forma discreta. Nada de pregação da Palavra, pois ambiente hospitalar requer silêncio.

Todas as recomendações da administração devem ser seguidas rigorosamente, a fim de manter as portas abertas para outras visitas.

Residência

Clique aqui para ver o conteúdo




Condomínio

O evangelismo em condomínios residenciais é uma ótima maneira de lançar a semente do evangelho para muitas vidas. Devido à violência e também ao surgimento de programas habitacionais, a exemplo do "Minha Casa, Minha Vida", o número de casas construídas em condomínios aumentou significativamente.

Se o evangelismo for efetuado sem serviço de som, valem as dicas do tópico anterior.

No ambiente da igreja, é comum encontrar irmãos que moram em condomínios próximos. A primeira providência a tomar é procurar esses irmãos para lhes falar sobre o plano de evangelismo em condomínios. O irmão poderia participar mediando com o síndico do condomínio, ou então com os outros moradores um agendamento para a realização desse evangelismo que pode se transformar num culto ao ar livre, dependendo das circunstâncias locais e da igreja.

Depois de obter essa autorização, o responsável pelo projeto (todo projeto, inclusive na igreja, deve ter um responsável) deverá ir até o local para fazer um levantamento sobre as particularidades do condomínio, como número de casas, se há estacionamento para carros de visitantes, se existe um espaço coberto reservado para eventos/reuniões dos condôminos, etc. No caso de não haver esse local coberto, será preciso verificar as condições climáticas (pois o som não pode ficar exposto à chuva) e o melhor local para instalar a caixa de som (se for na casa do irmão, o som deve ficar voltado para o lado de fora).

Se for necessário usar um ponto de energia de alguma casa, dê preferência a do irmão da igreja. Saiba antecipadamente a metragem da extensão para ligar o equipamento de som à rede elétrica e respeite as especificações técnicas do aparelho de som, a fim de evitar curtos circuitos e surpresas indesejáveis.

Quanto ao equipamento de som, nada de exageros e nada de mexer no som utilizado na igreja. O ideal é que a igreja possua um som especialmente reservado para trabalhos em campo. Na opção "Serviço de Som", disponibilizamos algumas dicas sobre esse detalhe importante.

A Palavra de Deus nos ensina que todas as coisas devem ser feitas com ordem e decência. Isso quer dizer que é preciso planejar as coisas com antecedência. No caso do evangelismo com serviço de som no condomínio, isso não é diferente.

O responsável pelo projeto, já ciente das características do condomínio, e considerando também as características da igreja da qual faz parte, proporá ao pastor responsável ou correspondente a melhor maneira de executar esse trabalho.

Por exemplo, se o evento ocorrer na garagem da casa do irmão, a presença da igreja no local será limitada a participação de alguns poucos membros atuantes, que deem bom testemunho e que manejem bem a Palavra da verdade.

Se o evento ocorrer em espaço apropriado, coberto e o condomínio contar ainda com vasta área de estacionamento para visitantes, os membros da igreja poderão comparecer ao local em maior volume.

Lembre-se de que esse evento não servirá apenas para reunir alguns irmãos da igreja em um ambiente residencial, mas também para receber os moradores do condomínio, aqueles que manifestarem o interesse em ouvir a Palavra de Deus. Para isso, os condôminos deverão ser convidados para o evento com certa antecedência, e isso pode ser feito por meio de visita casa a casa e também por meio de folhetos evangelísticos carimbados com as informações sobre a data e horário do encontro no condomínio.

Prefira marcar a data para esse evento no sábado, no domingo ou em dia de feriado, pois assim mais pessoas estarão disponíveis para ouvir uma mensagem de salvação.

Os responsáveis deverão chegar mais cedo para organizar as coisas. No horário marcado, aquele que estiver na direção do culto deve iniciar o trabalho com uma rápida apresentação do trabalho e também com um agradecimento ao síndico e aos condôminos pela oportunidade. Essa é uma ótima oportunidade para lançar mais um convite para que os moradores se dirijam ao local. Depois disso, o dirigente convida os presentes para fazer uma oração de abertura, pedindo a Deus a direção em tudo o que forem fazer.

Durante o culto/evangelismo, a distribuição de oportunidades deve ser para poucos irmãos congregados, seja para louvar ou para explanar uma mensagem, mas não as duas coisas ao mesmo tempo, para não se prolongar muito, afinal deve existir um horário para início e outro para término do encontro e isso deve ser observado.

Todos os que tiverem oportunidade para falar algo deverão trazer uma mensagem de salvação para o homem do mundo. Nada de falar sobre doutrina de igreja e de outros assuntos que não cabem para o momento. A mensagem que deve ser pregada é a palavra da cruz, que é loucura para os que perecem, mas o poder de Deus para os que são salvos (1 Coríntios 1:18).

Alguns condôminos irão preferir acompanhar a pregação da porta de sua casa, mas independentemente disso, ao final da mensagem, deverá ser feito o convite para que as pessoas recebam o Senhor Jesus como o salvador de suas vidas.

Para encerrar, poderá mais uma vez agradecer a todos pela presença e fazer o convite aos vizinhos para que participem do próximo culto a ser realizado pela igreja.

Serviço de som

"Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados." (Isaías 58:1)

O equipamento de som é uma ótima ferramenta para fazer evangelismo em ambientes abertos e maiores, como rodoviárias e espaços públicos.

A aparelhagem de som deve ser dimensionada de acordo com o local em que vai ser utilizada, para que não haja excesso ou falta de som. Porém infelizmente nem todas as congregações possuem recursos financeiros suficientes para aquisição de equipamento de som adicional, para uso externo.

Mesmo com pouco dinheiro, é possível montar um som básico, mas com boa qualidade e capacidade para encher um ambiente relativamente grande. Um equipamento como esse pode ser utilizado para evangelizar em ruas, condomínios, rodoviárias, podendo ser transportado facilmente por uma só pessoa, desde que utilize um carrinho de carga, ou na mala do carro.

Veja abaixo a lista de itens que utilizei em meu equipamento de som.

  • Módulo Pirâmid 800w
  • Subwofer
  • Twiter
  • Corneta
  • Fonte Automotiva Digital Spark Usina 60 Amperes
  • Bateria selada de 65 Amp
  • Mesa de Som Oneal - 4 canais (12V/110V/220V)
  • CD Player Sony (com entrada para USB e auxiliar
  • Coolers (para resfriamento do módulo).
  • Microfone c/fio, pedestal

Dê preferência aos produtos de melhor qualidade e mais modernos. Eles são mais compactos, leves e produzem excelentes resultados. Estude sobre o assunto e procure uma pessoa especializada para receber orientações.

Todo esse equipamento cabe no portamalas de qualquer sedã popular. A fim de facilitar o transporte, o equipamento de som foi separado em duas caixas: uma para a saída de áudio (corneta, twiter e subwofer) e a outra para controle e alimentação do som. Por causa do peso combinado das duas caixas, contratei o serviço de um serralheiro experiente para construir um carrinho de transporte, sb medida, com plataforma dobrável e corpo desmontável, equipado com rodízio emborrachado grande e resistente, comprado em loja de ferramentas. O rodízio custou R$ 50,00 (par) e o serviço do serralheiro incluindo os materiais: R$ 180,00, isso em 2013.

Existem alguma opções de carrinhos no mercado, mas fique atento para a capacidade de carga e se ele dobra ou desmonta, permitindo assim o transporte num carro de passeio.

Com o carrinho, uma só pessoa é capaz de levar todo o equipamento para praticamente qualquer lugar. O som nem precisa sair de cima da plataforma do carrinho. Acima fica a caixa de gerenciamento do som, onde estão instalados o CD player (parte frontal), o módulo (dentro), a fonte automotiva (dentro), a mesa de som (parte superior) e os coolers (parte frontal). A parte de trás da caixa contém uma boa abertura para possibilitar a saída de ar.

Um detalhe importante é quanto à fonte automotiva. Existem modelos mais baratos, porém prefira utilizar as fontes digitais estabilizadas, que possuam mecanismos inteligentes como interrupção de alimentação da bateria que já esteja carregada. Isso evita sobrecarga e aumenta a vida útil da bateria.

Esse equipamento tem um custo acessível e dá ótimos resultados. A bateria automotiva é capaz de alimentar sozinha o som no volume mais alto por quase 1 hora. Com a fonte ligada, não há com que se preocupar.

Observe algumas imagens:

Existem outras alternativas. Em lojas de instrumentos musicais, você pode optar por um dos vários modelos de caixa de som amplificada, que já vem com entrada USB, VGA (permite ligar aparelho de DVD), microfone e violão. Alguns modelos já incluem uma pequena bateria, que permite o funcionamento por algumas horas sem a necessidade de ligar caixa na rede elétrica. Pelo tamanho mais compacto e pelo peso, é ótima para transportar e utilizar em ambientes menores.

Seja qual for o equipamento a ser utilizado, nunca o utilize com o volume acima de seu limite de funcionamento. Som alto incomoda e distorce, prejudicando o entendimento dos ouvintes, além de causar o desgaste prematuro do equipamento.

"Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha? Assim também vós, se com a língua não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz? porque estareis como que falando ao ar." (1 Coríntios 14:8-9)

Falar alto por longos períodos ou gritar não faz sentido quando se utiliza um amplificador de voz, cujo trabalho é aumentar o volume da voz, sem a necessidade de esforço mecânico das cordas vocais do utilizador.

Caso queira colaborar com algumas dicas, envie um e-mail para contato@evangelismo.blog.br.

"Mas faça-se tudo decentemente e com ordem." (1 Coríntios 14:40)

Municípios menos evangelizados

O Brasil envia muitos missionários para outros países e isso é necessário.

Porém há muitos locais no Brasil que ainda não foram alcançados pela mensagem do evangelho.

Clique aqui e confira a lista dos municípios menos evangelizados no Brasil e se esforce para levar o evangelho também a estas localidades.

Evangelismo.blog.br: Porque evangelizar é necessário